Oswald de Andrade, grande personagem do Modernismo e um dos principais interventores da Semana da Arte Moderna em 1922, completou ontem, 120 anos de seu nascimento.

Oswald foi o grande percusor do movimento antropofágico – inspirado no marxismo, na descoberta da psicanálise de Freud, e do filósofo Rosseau -,  tinha como objetivo legitimar a cultura brasileira, ou seja, a cultura do índio. O manifesto do Pau Brasil também foi um marco no modernismo.

Seu grande questionamento ficou conhecido e imortalizado: “Tupi, or not tupi that is the question”.

Principais obras:

Poesia: Pau-Brasil (1926); Romance: Memórias Sentimentais de João Miramar (1924); Teatro: Rei da Vela (1937).

 

Anúncios