Existem pessoas que marcam nossas vidas, que nos ajudam, ensinam, espiram, dão broncas, chamam atenção, mas que são essenciais para o nosso crescimento.

Quem nunca teve aquele professor querido? Aquele que você não via a hora de chegar segunda-feira para ir a escola?

Eu já tive! E como alguns professores marcaram a minha vida.

Professora Socorro foi aquela que me apresentou as letras, e me ajudou os primeiros passos da leitura e da escrita. Aos cinco anos fui alfabetizada, no pré. Eu chamava de prezinho. Às vezes, quando passo na frente dessa escola municipal sinto saudades e minha memória faz uma viagem no tempo. Como era bom! A tia Socorro, como a chamava, cuidava de nós como se fosse uma mãe, ela era encantadora, tão meiga e dedicada. Algo que marcou nessa fase era a brinquedoteca. Tinha livros tão legais, diferentes, super recreativo. Não tem como se esquecer da tia Socorro e dessa época.

Mas, depois conheci uma professora mais que especial. Ela é uma junção de tia com mãe, não sei se você entende. É mãe porque chama atenção, ensina, mas, é brincalhona, leva pra casa, dá doce….rs. A Kátia, foi a minha professora da 1º serie. Ah! Que saudade! Até me emociona falar dela e desse tempo. A professora Kátia nos levava pra casa dela a tarde e fazíamos um cine pipoca. Foi ela que consolidou o alfabetizado em minha vida, que me ensinou o encanto da leitura, isso aos seis anos de idade. Fui crescendo e ela continuou presente em minha vida, não somente na memória. Conheci seus pais, depois fui ao seu casamento, conheci sua filha e a vi crescer. E algo emocionante foi vê-la em meu casamento, e claro, verei ela na minha formatura e na apresentação do meu TCC.

Professora Kátia no dia do meu casamento

Outra professora que me marcou foi a professora Vera, de geografia, na 5º serie. Nesse momento foi difícil pra mim. Aos 11 anos meus pais estavam se separando e chegava à escola e só sabia chorar. E com todo carinho a Vera conversa comigo, contava histórias e me confortava.

Sempre tive dificuldade com os números, mas com a Nancir era diferente. Como pode ser tão legal uma aula de matemática? Ainda mais porque o meu encanto sempre foi as palavras, as letras, as histórias…mas, foi diferente. A Nancir ensinava de um jeito que chamava atenção. Como gostei de estatística, de raiz quadrada, equação de 1º e 2º grau. Mas, jamais me apaixonei por exatas.

Com a Janilde descobri o gosto pela literatura. Dom Casmurro, Sermões, Macunaíma, Os Sertões, entre outros… Eu amava suas aulas…

E na faculdade, tive vários professores, mas, quero falar de duas professoras bem marcantes nos primeiros anos. Cleusa Sakamoto e a Joana Puntel.

Cleusa é uma psicóloga, mega criativa, alias, suas aulas são maravilhosas. Mais que ensino, é terapia. Motiva-nos a ir a além, a acreditar mais.

Joana Puntel dedicou sua vida aos estudos e a Deus – como ela diz. Faz parte das irmãs paulinas (freira), jornalista, doutora, mestre, com um currículo vasto. O que me fez listá-la entre as pessoas que jamais esquecerei é porque ela me ajudou a confiar e acreditar mais em mim. Além disso, suas aulas eram ótimas, me fez gostar mais ainda de política.

Tenho certeza que outras pessoas farão parte dessa lista, pois pra mim, o estudo terá uma longa vida.

AM

Anúncios