A mutabilidade pertence à toda criação. Vivemos em um mundo que a cada minuto tudo muda: a moeda, as leis, o pensamento humano, o clima, a palavra de alguém, a natureza, as políticas empresariais e, por aí vai. Em contrapartida, Deus é o “mesmo ontem, hoje e será para sempre”[1]. E, é nessa certeza que precisamos depositar nossa confiança: na imutabilidade de Deus.
Fácil dizer que confiamos em Deus quando tudo vá bem, quando nada está fora do eixo. Porém, hoje, meditando nas escrituras, vejo que muitas pessoas, em algum momento de suas vidas, se defrontaram com alguns obstáculos e, a partir dessa experiência, tiveram suas vidas transformadas.
Eu acredito nisso. Vivo. Cada situação pode ser um trampolim para conhecermos e confiarmos mais em Deus. O Salmo 91, tão conhecido, é cheio de promessas, contudo, hoje consigo entender que só é possível desfrutar de todas elas quando eu faço do Eterno o meu abrigo, quando deposito minha confiança na pessoa dEle. E a confiança está altamente ligada no relacionamento que tenho com Ele. É preciso conhecer seu caráter imutável e não se apegar naquilo que vê – que é transitório, isso sim, é possível mudar. Circunstância é algo que muda. Mas, Deus não. Como ele diz em Malaquias 3:6 “Porque eu, o Senhor, não mudo”. Quanto mais O conheço, mais eu confio: “A nossa capacidade em acreditar em Deus – e em suas promessas – provém do nível de conhecimento que eu tenho a cerca do seu caráter […] Ele é digno de confiança. Sua promessa é real. Você pode entregar-lhe o problema e descansar”[2].
Isso não significa que não haverá choros, dúvidas, questionamentos, medo… pelo contrário, choraremos, mas a oração deve ser como do salmista: “minhas lágrimas estão registradas no teu livro, mas em ti confiarei de todo meu coração e não temerei”[3]. Definitivamente, o Senhor se importa conosco. Pode ser algo tão pequeno aos olhos humanos, mas Ele mesmo reinando no Seu trono de glória se “inclina para contemplar o que está acontecendo na terra”[4].

Que a cada não ou a cada porta fechada possa ser a oportunidade se achegar mais perto de Jesus. Há muito mais a ser descoberto! Há muito mais a ser vivido!

—–

[1] Hebreus 13:8

[2] Comunhão e Princípios de Fé. Milhomens. Valnice. Pág. 31

[3] Salmo 56:8

[4] Salmo 113:5 (NVI)